Eduardo troca Nossa Senhora da Conceição por Dilma

PERNAMBUCO
Eduardo troca Nossa Senhora da Conceição por Dilma

O governador de Pernambuco Eduardo Campos, não vai subir hoje, o morro, para homenagear Nossa Senhora da Conceição. Essa é a primeira vez, desde que assumiu o governo do Estado, que o ritual deixa de acontecer. A “devoção” foi substituída pela política: está em Brasília, conversando com Dilma, negociando espaço do seu partido e seu futuro político. Para limpar a barra com Nossa Senhora, o governador foi ao morro, antes de embarcar para Brasília, três dias antes da festa.

Foto: Aluísio Moreira/Divulgação

A ESCOLHA DE EDUARDO – O governador de Pernambuco teve que abandonar a devoção a Nossa Senhora da Conceição para render homenagens a Dilma Rousseff

Postado por Toinho de Passira
Fontes: Blog do Josias de Souza , TRE -PE , ”thepassiranews” , Veja Radar Online , Ultimo Segundo , Portal PSB , Portal Governo e Pernambuco , Estadão

Eduardo Campos, governador de Pernambuco e Presidente do Partido Socialista Brasileiro não vai reverenciar, hoje, Nossa Senhora da Conceição, no morro em Casa Amarela, com faz todo ano. Trocou a padroeira milagrosa de Casa Amarela, no seu dia, por Dilma Rousseff, a futura presidenta. Foi acertar o tamanho da fatia do partido dele, PSB, no governo dela, do PT.

Pelo visto, proporcionalmente, o PSB de Eduardo vai conseguindo, sem barulho ou pressões públicas, bem mais que o PMDB. Para tanto, conta com a simpatia que Lula e a candidata lhes dispensam, além da gratidão pela votação que Dilma obteve em Pernambuco. No segundo turno, a candidata Dilma foi sufragada com 3,5 milhões de votos, 75,65% dos votos validos, quase 800 mil votos a mais que obtivera no primeiro turno.

De quebra Eduardo ainda conseguiu silenciar Ciro Gomes (PSB-CE) fazendo abandonar a disputa antes das eleições. Em Pernambuco elegeu os dois senadores da coligação, Armando Monteiro e Humberto Costa, pondo no estratégico senado, aliados no lugar dos oposicionistas, Marco Maciel e Sérgio Guerra.

 

Eduardo Campos caminha com Dilma, ainda desconhecida, pelas ruas do Recife, durante o desfile do Galo da Madrugada

 

Foi aqui, em Pernambuco, que Dilma deu seus primeiros passos vacilantes de candidata, convidada a participar ao lado de Eduardo do desfile do Galo da Madrugada em 2009.
 

Nacionalmente o PSB elegeu seis governadores, 35 deputados federais e quatro senadores nas ultimas eleições, e é com esse cabedal que pretende ocupar pelo menos três ministérios e estatais de peso.

Eduardo Campos repassou a Dilma na semana passada, o nome de três socialistas “ministeriaveis”.

A pretensão era que eles ocupassem os ministérios da Integração Nacional, Turismo e Secretaria de Portos, Dilma aprovou dois, mas teve que rejeitar a indicação para o Turismo, já ocupada pelo deputado maranhense, Pedro Novais (PMDB-MA), da cota especial de José Sarney.

Por enquanto, o PSB fica com a Integração Nacional acomodando, o atual secretário de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco, Fernando Bezerra Coelho, candidato virtual de Eduardo para sucedê-lo no governo do Estado, em 2014, e com a Secretaria de Portos, com status de Ministério, onde será mantido Pedro Brito, debitado na cota de Ciro Gomes.

Especula-se, porém, que Dilma teria oferecido ao PSB, no lugar do Ministério do Turismo, o Ministério das Micro e Pequenas Empresas, uma nova pasta criada pelo seu futuro governo, que ficaria com o senador pessebista Antonio Carlos Valadares (PSB-SE).

 

Foto: Agência Brasil

MILAGRE DE SANTA DILMA – O porquinho Eduardo Dutra vai conseguir ser Senador, e talvez até líder do governo no Senado, sem nenhum mísero voto. Cadê a reforma política?

O senador Valadares, que está no senado desde 1994, não tem o menor perfil para ocupar o novo ministério, que pelo visto foi criado apenas para acomodar mais aliados. Por trás desse interesse pelo senador sergipano, a presidenta quer apenas arranjar uma vaga de senador para um dos seus porquinhos, o presidente do PT, José Eduardo Dutra, que é o 1º suplente do senador sergipano do PSB.

Apesar de emergida agora, como novidade, o acordo foi firmado lá atrás, desde quando o Senador Valadares, com dificuldades em se reeleger, propôs colocar Eduardo Dutra, presidente do PT e porquinho do chiqueiro de Dilma, como seu suplente.

O PSB diz-se satisfeito em ceder o senador para o ministério, mas considera essa escolha como uma “cota pessoal” da presidente eleita e imagina conseguir uma quarta pasta.

A presidenta não pode ceder uma quarta pasta ao PSB, pois poria em pé de guerra tanto o PMDB, quanto o próprio PT, proporcional e eleitoralmente mais fortes e influentes.

Eduardo Campos não vai brigar, mas vai pressionar por mais espaços. A solução vai ser alguma, ou algumas estatais para compensar sua lealdade e sua contribuição eleitoral a vitória da candidata.

Estão em jogo presidências e diretorias da Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene), da Companhia de Desenvolvimento do Vale do São Francisco (Codevasf), da Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf), do Departamento Nacional de Obras contra as Secas (Dnocs) e do Banco Nacional do Nordeste (BNB).

Só não se sabe como reagirá a milagrosa e abandonada Nossa Senhora da Conceição, que não foi em nenhum momento consultada.

Foto: Roberto Pereira/SEI

A SANTA E A PROFANA – Entre a Santa e a presidenta, Eduardo Campos, tentou agradar as duas: antecipou sua visita ao morro e encontra Dilma no dia de Nossa Senhora da Conceição. Espera um milagre: mais ministérios para o PSB e aumento nacional do seu prestígio.

NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO, A LEGÍTIMA  

Foto: Vania Brayner/Flickr

Todo dia 08 de dezembro, o morro da Conceição em Casa Amarela, Recife, todos os anos, recebe milhares de fiéis que em penitência sobem até os pés da imagem da santa, em devoção, pagando promessas ou agradecendo graças alcançadas.

O culto consagrado a Nossa Senhora da Conceição, no Recife é uma das maiores festas religiosas e tradicionais brasileiras.

A festa teve origem a partir da comemoração do cinqüentenário do dogma da Imaculada Conceição no Brasil, em 1904. Nesta época, o bispo D. Luís Raimundo da Silva Brito mandou construir uma capela em estilo gótico e encomendou uma réplica da imagem da Virgem da Conceição, vinda de Portugal, toda em ferro, com 5,5 metros de altura e pesando 1.806 quilos.

Tradicionalmente, acontece um fenômeno que precisa ser estudado: nos anos eleitorais, centenas de políticos costumam misturar-se a multidão de fiéis, em busca de popularidade e suposta proteção divina, na trajetória da subida ao morro, feita à pé, e aos pés da imagem de Nossa Senhora da Conceição.

Inexplicavelmente, após as eleições, eleitos ou derrotados, os políticos praticamente desaparecem das homenagens a Santa, retornando apenas nas proximidades do próximo pleito. Não é estranho?

 

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: