O codinome de Lula como informante da ditadura era “Barba”.

sábado, 7 de dezembro de 2013

O dedo que faltava: o dedo-duro

          Faz sentido. Lula sempre alardeou a amizade e gratidão que devota a Romeu Tuma, principalmente pelo tratamento que o xerifão do DOPS lhe dispensou na prisão. O Sapo Barbudo foi preso em 19 de Abril de 1980 e libertado um mês depois, em 20 de maio de 1980.

Na prisão, Tuma lhe levava sanduíches, providenciou dentista para tratar sua dor de dente, mandou instalar uma TV para Lula assistir aos jogos do Corinthians e, contra toda norma e regra de cadeia, principalmente por se tratar de preso acusado de ameaçar a segurança nacional, Romeu Tuma permitiu que Luis Inácio fosse ao velório de sua mãe.

Aquele mês em que ficou preso, aos cuidados de tão gentil e carinhoso carcereiro, rendeu a Lula uma pensão vitalícia como ‘perseguido pela ditadura’. Há dois anos, o delinqüente moral recebia R$ 6 mil reais por mês.

O codinome de Lula como informante da ditadura era “Barba”. Os arquivos no Dops comprovam, segundo Romeu Tuma Jr.
De colega para colega:
http://www.youtube.com/watch?v=9B1VT-z5kyc
Postado por às 10:06

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: